Específico Queimada

REGRAS DE QUEIMADA

Regra 1 – Quadra de Jogo

Artº 1 –Dimensões:

 

A quadra de jogo será um retângulo com o comprimento máximo de 18 metros.

 

Artº 2 – Zona de Substituições:

 

É o espaço determinado na linha lateral, do lado onde se encontra a mesa de anotações e

cronometragem, Iniciando-se a uma distância de 5 (cinco) metros para cada lado partindo da linha divisória do meio da quadra. Para cada zona haverá um espaço de 5 (cinco) metros de cada lado da linha divisória do meio da quadra deverá permanecer livre.

 

Artº 3 – Se durante a partida uma outra bola cair dentro da quadra, deverá ser considerada como um elemento estranho. A partida só deve ser paralisada se aquela interferir no jogo.

Regra 3 – Número e Substituições de Atletas

Artº 4 – A partida será disputada entre duas equipes compostas, cada uma, por no máximo de 10(dez) atletas.

 

Artº 5 – É vedado o início de uma partida sem que as equipes contem com um mínimo de 6(seis) atletas.

 

Artº 6 – O número máximo de atletas reservas, para substituições, é de 5 (cinco).

 

Artº 7 – Será permitido um número de 5 (cinco) substituições, por set, entrando sempre no lugar do atleta que não foi queimado a qualquer tempo do jogo, sem necessidade de paralisação da partida. Um atleta que tenha sido substituído poderá voltar a partida em substituição a outro, tendo a necessidade de avisar o anotador ou cronometrista das substituições.

 

Artº 8 – As substituições realizam-se quando a bola estiver em jogo, subordinando-se às seguintes condições:

  1. O atleta que sai da quadra de jogo, deverá fazê-lo pela linha lateral, nos 5 (cinco) metros correspondentes ao lado onde se encontra seu banco de reservas, e no setor chamado zona de substituição;
  2. O atleta que entra na quadra de jogo deverá fazê-lo pela mesma linha da zona de substituição, também nos 5 (cinco) metros correspondente ao lado onde se encontra seu banco de reservas, mas nunca antes de o atleta substituído transpor completamente a linha lateral;
  3. A partida não poderá ser interrompida para a substituição de atleta, salvo em caso de contusão grave por este sofrida, comprovada pelo árbitro;
  4. Qualquer atleta substituto está submetido a autoridade e jurisdição dos árbitros, seja ou não chamado a participar da partida;
  5. A substituição completa-se quando o substituto entra na quadra de jogo e, o substituído, deixa a mesma totalmente.
  6. Se em uma substituição o atleta substituto entra na quadra de jogo antes que o atleta substituído saia, o árbitro principal paralisará a partida e determinará a saída do atleta substituído e, após o colega substituto entrar em quadra, reiniciará o jogo no local onde se encontrava a bola quando da interrupção;
  7. O atleta que estiver lesionado poderá deixar a quadra por qualquer lugar, desde que autorizado por um dos árbitros, mas o seu substituto deverá entrar pela zona de substituição;
  8. O atleta lesionado deverá ser atendido fora da quadra de jogo, podendo retornar assim que o árbitro autorize;
  9. Atletas com ferimentos que esteja sangrando, não poderão permanecer na quadra de jogo. Devem obrigatoriamente deixar a quadra para serem medicados.
  10. O atleta que receber 2 cartões amarelos pelo árbitro durante a partida poderá ser substituído na próxima partida este cartão o acompanhará por todos os sets. O Atleta que receber cartão vermelho ficará suspenso do jogo seguinte.

 

Artº 9 – A um dos atletas, de cada equipe, será atribuída a função de “capitão” cabendo-lhe:

  1. Representar durante a partida sua equipe, da qual é ainda o fiador da boa conduta, exigível, antes, no transcorrer e após o término da mesma;
  2. Dirigir-se ao árbitro buscando interpretação ou informação essencial, quando necessário, desde que o faça com respeito e cortesia;
  3. Assinar a súmula de jogo, antes do início da partida, o que atesta e certifica que todos os atletas relacionados na referida súmula são exatamente os que se encontram na quadra de jogo.

 

Artº 10 – No banco destinado aos atletas reservas, colocados sempre do lado da defesa das equipes, durante todo o transcorrer da partida somente poderão permanecer, devidamente sentados, um máximo de 5 (cinco) atletas substitutos, devidamente uniformizados, identificados e em condições de participar da partida, além de 1 (um) técnico ou treinador e 1 (um) auxiliar técnico, também devidamente identificados. Após o início dos jogos os membros da comissão técnica e atletas não poderão ser substituídos em súmula.

 

Artº 11 – Eventualmente o árbitro poderá determinar a troca de posições nos bancos de

reservas, se assim o exigir a situação ou o local dos bancos.

 

Artº 12 – O técnico ou treinador e o capitão de ambas as equipes devem, obrigatoriamente, assinarem a súmula antes do início do jogo, o que atesta que todos os atletas e membros da Comissão Técnica de suas equipes que estão relacionadas em súmula, são os que vão participar da partida.

 

Parágrafo Único – Somente o Técnico ou Treinador poderá dar instruções a sua equipe.

Regra 4 – Equipamentos dos Atletas

Dos Atletas:

 

Artº 13 – É vedado ao atleta o uso de qualquer objeto reputado pelo árbitro como perigoso ou nocivo à prática do desporto. O árbitro exigirá a remoção de qualquer objeto que, a seu critério, possa molestar ou causar dano ao adversário ou a si próprio. Não poderão usar piercing, brincos, pulseiras, cordões, colares, anéis etc.. Não sendo obedecido em sua determinação, ordenará a expulsão do mesmo.

Artº 14 – O equipamento dos atletas compõe-se de camisa de manga curta ou sem manga, calção ou short curto padronizado, meias, tênis confeccionados com lona, pelica ou couro macio, com solado e revestimento lateral de borracha ou material similar. Não poderão usar luvas nem short jeans.

 

Artº 15 – O tempo de duração de uma partida é de 10 minutos, cronometrados, divididos em 2 sets, com tempo máximo de 3 minutos para descanso entre os sets.

 

Artº 16 – Haverá um terceiro set em caso de empate nos dois primeiros sets onde será feito novo sorteio.

 

Artº 17 – Será considerada vencedora a equipe que ao final da cada set apresentar o menor número de atletas queimados.

 

Artº 18 – Terminado o tempo regulamentar, caso esteja empatado em número de atletas não queimados, o anotador fará um tempo técnico onde será vencedora a equipe que queimar primeiro. A bola permanece com a equipe que tinha posse da mesma.

 

Artº 19 – Não será permitida a solicitação de tempo, bem como substituição de atletas durante o tempo técnico.

 

Artº 20 – Será concedido às equipes disputantes, objetivando dar instruções aos atletas, o direito de solicitar o pedido máximo de 2 (dois) tempos, um em cada set da partida, sendo de 1 (um) minuto a duração de cada tempo solicitado, respeitando-se os seguintes princípios:

  1. Os técnicos ou treinadores das equipes deverão solicitar o tempo ao árbitro e na ausência ou falta deste solicitarão aos árbitros auxiliares;
  2. Os pedidos de tempo somente serão concedidos quando a bola estiver a favor da equipe solicitante;
  3. Nos pedidos de tempo se permitirá que os atletas participantes da partida sentem-se no banco destinado aos reservas para receberem instruções de seus técnicos ou treinadores, mesmo que o técnico ou treinador tenha sido expulso no jogo, ou esteja suspenso, será permitido que os atletas sentem-se no banco de reservas;
  4. Se uma equipe não solicitar tempo no primeiro período da partida não poderá acumular para usá-lo no segundo período;

 

Artº 21 – Aos técnicos ou treinadores será permitido orientar seus atletas durante o transcorrer da partida. Deverão fazê-lo de maneira discreta, sem reclamar ou perturbar o

bom andamento da partida.

 

Artº 22 – O treinador, no momento de orientar seus atletas, quando da partida em andamento, não poderá aproximar-se a menos de 3 (três) metros de distância da mesa destinada ao anotador.

Regra 9 – Bola de Saída e transcurso de partida

Artº 23 – No início da partida a escolha de lado ou saída de bola será decidido por meio de sorteio procedido pelo árbitro principal. A equipe vencedora do sorteio escolherá a meia quadra onde irá iniciar jogando e a equipe perdedora terá o direito de iniciar o jogo. Dado o sinal pelo árbitro, a partida será iniciada por um dos atletas, que movimentará a bola com as mãos arremessando em direção ao lado contrário, devendo a mesma, nesse momento, estar nas mãos do atleta que ganhou o sorteio, cada equipe deverá estar em seu próprio lado da quadra com os dois atletas voluntários em suas zonas de queimado.

 

Artº 24 – Depois do atleta queimar um adversário, este deverá se dirigir a zona de queimado pela lateral da quadra sem tocar na bola, a partida continuará de onde a bola parou.

 

Artº 25 – O atleta queimado não poderá mandar ninguém em seu lugar.

 

Artº 26 – Ao ser queimado haverá um tempo de transição de 6 (seis) segundos entre o queimado e o voluntário.

 

Artº 27 – O voluntário que esteja na zona de queimados poderá queimar normalmente.

 

Artº 28 – Após o descanso regulamentar a que se refere a regra, a partida recomeçará com as equipes disputantes trocando de lado e o reinicio será efetivado por um atleta da equipe contrária aquela que deu o arremesso inicial.

 

Artº 29 – O atleta não poderá demorar mais que 5 segundos para arremessar a bola.

 

Artº 30 – Serão considerados queimados o atleta que:

  1. a bola toque em qualquer parte do seu corpo.
  2. sair da quadra de jogo sem a posse de bola no momento do ataque adversário.
  3. for tocado por último na bola depois dela ser tocada por seus companheiros de quadra.

 

Artº 31 – Não serão considerados queimados o atleta que:

  1. a bola tocar no adversário após ter sido tocada em si próprio.

 

Faltas punidas com a perda da posse de bola: as punidas com a perda da posse de bola:

Artº 32 – O Atleta que:

  1. Ao ser queimado tocar na bola e entregá-la ao seu companheiro ou atrapalhar a trajetória da bola;

 

  1. Demorar mais de 5 (cinco) segundos para arremessar a bola;

 

  1. Pisar ou ultrapassar a linha central ou linha de fundo da quadra com o pé ou braço para receber a bola (por baixo ou por cima);

 

  1. Invadir o campo adversário após e durante o arremesso;

 

  1. Arremessar ou passar a bola em forma de gancho ou chute;

 

  1. Fizer 3 alcances seguidos;

 

  1. Invadir a quadra do adversário para pegar a bola;

 

  1. For queimado e estiver pisando em cima da linha.

Faltas punidas com cartão amarelo e perda da posse de bola

Artº 33 – O Atleta que:

1 Ao ser queimado passar por dentro da quadra do adversário;

2 Ficar sentado na zona de queimado

  1. No tempo de transição levar mais de 6 (seis) segundos para entrar em sua quadra (atleta voluntário).

 Faltas punidas com cartão vermelho e perda da posse de bola

Artº 34 – O Atleta que:

  1. Infringir, persistentemente as regras de jogo;
  2. Demonstrar por palavras ou atos divergências das decisões tomadas pelo árbitro;
  3. Ser responsável por indisciplina cometida;
  4. Trocar o seu número de camisa sem avisar o anotador e o árbitro;
  5. Dirigir-se na quadra de jogo, durante a partida, ao árbitro principal, ao árbitro auxiliar, ao anotador e ao cronometrista para deles reclamar ou discordar ou, para discutir com o público;
  6. For culpado de conduta violenta;
  7. Fizer manifestações injuriosas ou grosseiras;
  8. Praticar pela segunda vez infração punível com cartão amarelo de advertência.
  9. Retirar-se da quadra de jogo sem autorização dos árbitros;
  10. Empregar linguagem ofensiva, grosseira ou obscena, gesticular de maneira ofensiva;

Comentários